Mais um passo em direção à valorização dos resíduos

resialentejo-TMB900x420_82150% dos resíduos presentes num normal saco do lixo dos portugueses é passível de ter um outro destino que não os aterros. Essa parcela diz respeito a resíduos biodegradáveis que podem ser valorizados ao nível doméstico ou a nível industrial.

Numa perspetiva de resposta ao nível industrial, os três promotores deste projeto, o Re-Planta!, uniram esforços no sentido instalar duas Unidades de Tratamento Mecânico e Biológico que fará o tratamento e valorização da parcela biodegradável dos resíduos indiferenciadamente recolhidos, assim como dos resíduos verdes.

A Unidade de Évora está já em fase de testes e a Unidade de Beja entra hoje em fase de testes. Em conjunto, estas Unidades, terão a capacidade de tratar 143.000 t/ano de resíduos indiferenciados da região, contribuindo diretamente para atingir a meta nacional de redução dos resíduos biodegradáveis, destinados ao aterro, para 35% (relativamente aos números de 1995).

No entanto, uma parte significativa destes resíduos orgânicos pode ser separada e aproveitada nas habitações e nas organizações através da compostagem doméstica ou comunitária, numa medida complementar ao esforço industrial já referido. Nesse sentido os promotores lançam um projeto que abrange os 25 concelhos alentejanos para contribuir para redução da quantidade de resíduos orgânicos presentes diretamente nos contentores do lixo dos lares e organizações, aumentando a prática da compostagem doméstica e comunitária, associada à criação de hortas e jardins em modo biológico. Deste objetivo surge o Re-Planta!.

 

Anúncios